Tenochtitlán (ver Astecas)

Tenochtitlán foi a principal cidade asteca, considerada capital dos mexicas, uma das maiores cidades de seu tempo em todo o mundo e era a cabeça de um poderoso estado que dominava grande parte da Mesoamérica.

Não há consenso sobre o significado do nome da cidade. Segundo especialistas, Tenochtitlán deriva das palavras nautle te, “rocha” ou “pedra”, nōch, nome do fruto do nopal (espécie de cacto), e ti-tlan, “onde os frutos abundam”, significando algo como “lugar da pedra onde abundam os frutos do cacto”.

O nome está relacionado à tradição lendária dos mexicas segundo a qual esses povos fizeram uma peregrinação saindo de seu lugar de origem, chamado Aztlán em direção ao vale do México. A peregrinação durou cerca de 260 anos (de 1664-25 a 1325) até encontrarem o lugar indicado pelo seu deus Huitzilopochtli: um lago com uma ilha na qual havia uma rocha e nela um nopal (cacto) com uma água pousada com as asas abertas para o sol.

Os astecas encontraram o local no Lago Texcoco e ali fundaram sua cidade em 20 de junho de 1325, segundo os anais de Tlatelolco. Essa ilha corresponde ao centro da atual Cidade do México.

Tenochtitlán, construída em uma ilha fluvial de 12,8 km2, estava ligada às margens por três estradas flutuantes. Apesar do lago Texcoco ser salgado, a cidade era cercada de água doce graças às barragens construídas pelos mexicas e que permitiam que ali se concentrassem as águas dos rios que alimentavam o lago. Dois aquedutos, um deles com 8km de comprimento, abasteciam a cidade de água potável. Isso permitia que um canal ficasse em operação enquanto o outro estava sendo mantido. Havia ainda um dique de 16 km de comprimento protegia a cidade das inundações durante a época das chuvas.

A cidade tinha ruas largas e cinquenta grandes construções entre palácios, mercados, escolas, jardins e templos em forma de pirâmide. Muitos canais cortavam a cidade e eles eram atravessados ​​por pontes de madeira removidas à noite, como regulador das correntes do lago e como estratégia militar. Estima-se sua população entre 200 mil e 230 mil habitantes no século XV. Londres, a maior capital europeia da época, mal chegava a 100 mil habitantes.

Os conquistadores espanhóis que conheceram Tenochtitlán no século XVI, surpreenderam-se com o grau de organização da cidade. Inúmeras canoas feitas de taboa (cerca de 60 mil por dia de atividade normal) circulavam pelos canais, indo e vindo do centro até as margens do lago. Havia canoas para coleta de lixo e outras para coleta de excrementos, que serviam como compostagem nas áreas de cultivo, as chinampas. Cerca de mil pessoas eram responsáveis ​​pela limpeza das ruas. Havia latrinas nas casas particulares, no mercado público e nas estradas.

Tenochtitlan

Escultura comemorativa da fundação do México-Tenochtitlán (à esquerda), e vista de Tenochtitlán (à direita), mural de Diego Rivera, 1945, Palácio Nacional, Cidade do México.

 

Compartilhe =]

Compartilhar no Facebook Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Pocket Compartilhar no Twitter Compartilhar no LinkedIn