Espaço vital, teoria do

A expressão “espaço vital” (em alemão, Lebensraum) foi criada pelo geógrafo alemão Friedrich Ratzel, no século XIX, designando o espaço necessário para a expansão territorial de um povo, no caso, o povo alemão. O termo tornou-se o lema da unificação da Alemanha, em 1871.

Anos depois, Hitler retomou o conceito de espaço vital e lhe deu um sentido político e racista para justificar o expansionismo alemão como um “direito da raça superior ariana”. Conquistar o “espaço vital” significava, então, reunir todos os povos germânicos sob a autoridade suprema de Hitler em um único território expandindo-o ao máximo. Tinha por lema “um guia, um império, um povo”.

O espaço vital nazista pretendia que a Alemanha retomasse as fronteiras anteriores à Primeira Guerra Mundial e conquistasse territórios da Europa Oriental, especialmente aqueles com população alemã, como a Áustria (anexada em março de 1938) e a Checoslováquia de quem Hitler tomou a região industrializada dos Sudetos, em outubro de 1938, e o resto do país, em março de 1939.

O passo seguinte foi tomar o corredor polonês, faixa de terra perdida pela Alemanha pelo Tratado de Versalhes. A invasão e ocupação desse território polonês em 1º de setembro de 1939, foi o estopim da Segunda Guerra Mundial.

Compartilhe =]

Compartilhar no Facebook Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Pocket Compartilhar no Twitter Compartilhar no LinkedIn