NEP (Nova Política Econômica)

NEP é a abreviação da expressão em russo Novaya Ekonomiceskaya Politika (“Nova Política Econômica) nome dado à política econômica apresentada por Lênin e adotada pela União Soviética em 1921. Em linhas gerais, a NEP significou a retomada de alguns elementos do capitalismo para incentivar a nascente economia soviética a sair da grave crise em que se achava mergulhada.

Segundo Lênin, a NEP era recuo tático para o restabelecimento da iniciativa privada e da pequena propriedade privada e, com isso atrair investimentos estrangeiros. Lenin teria dito: “Um passo atrás para dar dois à frente”.

Foi permitida a participação do capital privado na pequena indústria, no comércio a varejo e nas empresas com menos de 20 empregados. Para os trabalhadores agrícolas, foi instituído um imposto in natura, sob a forma de cereais e que, posteriormente, foi substituído por uma taxa em dinheiro. Pago o tributo, era permitido aos camponeses vender o excedente da produção a preço de mercado. O Estado manteve o controle das finanças da grande e média indústria, dos transportes e do comércio externo e interno.

A NEP foi um sucesso. A produção agrícola foi sendo restabelecida, o sistema viário voltou a funcionar com maior regularidade e as pequenas indústrias começaram a lançar seus produtos no mercado. Por outro lado, houve muita crítica de que a NEP provocou a falta de grãos devido a ausência do Estado na direção da produção, e que estava enriquecendo uns poucos em detrimento da maioria.

A morte de Lenin, o idealizador da NEP, em 1924, acabou por conduzir o Partido Comunista Soviético ao abandono da NEP e à volta ao coletivismo. Em 1928, Josef Stalin adotou os planos quinquenais visando industrializar rapidamente o país.

Compartilhe =]

Compartilhar no Facebook Compartilhar no WhatsApp Compartilhar no Pocket Compartilhar no Twitter Compartilhar no LinkedIn